Amor é uma relação de dar e receber

Mantra da Semana por Osho


Olá, este mês de junho, em homenagem ao santo casamenteiro, Santo António, ofereço a todos, quatro mantras da semana, por Osho especial, com reflexões sábias que te orientarão na autoavaliação do teu relacionamento e te ajudarão a cultivar sentimentos amorosos.


Muitas vezes, queremos melhorar o nosso relacionamento, em casa, mas não sabemos por onde começar. Sugiro que iniciemos esta caminhada, entendendo primeiro o que é, de facto, um relacionamento.


Estes quatro podcast englobam as seguintes reflexões e temas:


Este último mantra da semana, por Osho especial de relacionamento, chama-nos para a necessidade de recriarmos a nossa relação sexual, elevando a qualidade do amor e partindo do princípio de que o amor está além da atracão física.


Amor é uma relação de dar e receber

“O amor respeita o outro. É uma relação de dar e receber. O amor curte dar, e o amor curte receber. É um compartilhar, uma comunicação. Os dois são iguais no amor; numa relação sexual os dois não são iguais. O amor tem uma beleza totalmente diferente.


O mundo está, aos poucos, movendo-se lentamente para relacionamentos amorosos; então há uma grande confusão. Todas as instituições velhas estão desaparecendo – elas têm que desaparecer, porque elas estão baseadas na relação eu/isto. Novos caminhos de comunicação, novas maneiras de compartilhar estão prontos para serem descobertos. Eles terão um sabor diferente, o sabor do amor, do compartilhar. Eles serão não-possessivos; eles não terão nenhum proprietário.


Então, o estado de amor mais elevado é a oração. Na oração há comunhão. No sexo há a relação eu/isto, no amor a relação eu/você. Martin Buber parou ali; sua tradição judaica não lhe permitiu ir além. Mas um passo a mais tem que ser dado, que é nem ‘eu’ nem ‘você’ – uma relação onde eu e você desaparecem, uma relação onde duas pessoas não mais funcionam como duas, mas funcionam como uma. Uma tremenda unidade, uma harmonia, um acordo profundo – dois corpos mas uma alma. Essa é a mais elevada qualidade do amor. Eu chamo isto de devoção.


O amor tem estes três estágios, e a compaixão nesse sentido, tem três estágios, e ambos podem existir em combinações diferentes.

Conseqüentemente há muitos tipos de amor e muitos tipos de compaixão. Mas o básico, o mais fundamental, é entender a escada dos três degraus do amor. Isso o ajudará, lhe dará um insight de onde você está, em que tipo de amor você está vivendo e qual o tipo de compaixão que está acontecendo a você. Observe. Esteja atento em não permanecer preso nela. Há reinos mais elevados, alturas para serem alcançadas, picos para serem atingidos.”


Osho


Aproveite para me acompanhar no Facebook na página Awaking Connection, onde irá descobrir, através de Osho, outras maneiras de despertar a sua conexão interior.


Uma semana de muita Luz!

Namaste!


Patrícia Cassique




0 visualização

​© Awaking Connection